quarta-feira, 13 de abril de 2011

Entenda melhor o que são JOGOS PSICOLÒGICOS

No  Portal Brasileiro de Análise Transacional (PortalBrAT), José Silveira Passos nos dá uma explicação bem didática sobre a teoria dos Jogos Psicológicos defendida por Berne e Steiner.

Vou publicar aqui alguns aspectos que me chamam a atenção e procurar ilustrar de maneira a auxiliar você a não morder as iscas e assim evitar os jogos psicológicos. 

Uma outra maneira de sair dos jogos psicológicos é sair do triângulo dramático ou seja de qualquer uma das três posições nas quais uma pessoa fica presa quando vive o Triângulo Dramático. 


Tanto a posição de "Perseguir" o outro, ou seja falar mal do outro, desejar que o outro se estrepe, difamá-lo ou aparentemente odiá-lo, como a posição de "Salvar" ir acudir o outro, ter dó do outro, sentir-se responsável pelo seu bem estar, sentir culpa por ele ter se estrepado, assim como a terceira posição ou seja a de ser "Vítima" sentir-se inferior, sentir-se coitadinha, sentir-se com menos valia do que o outro, sentir-se impotente, incompetente, inadequada, insegura, indecisa... são posições que nos prendem no Triângulo Dramático que nos leva a viver uma sub-vida como se fosse uma novela das 20 horas onde o final é totalmente previsível independente do cenário, dos personagens e de suas histórias.

Mas, vamos entender um pouco mais sobre jogos psicológicos.

Segundo Berne (Os Jogos da Vida, Editora Artenova, Rio de janeiro.), "Um jogo é uma série de transações complementares que se desenrolam até um desfecho definido e previsível. Pode ser descrito como um conjunto repetido de transações, não raro enfadonhas, embora plausíveis e com uma motivação oculta. Para definir de maneira simples, Jogos são constituídos por uma série de lances com uma cilada ou 'truque' no meio ou no fim", p. 49.

Berne também define Jogos (O que Você Diz Depois de Dizer Olá?, Nobel Editora, São Paulo.): "Jogos são conjuntos de transações ulteriores, repetitivas por natureza, com um desfecho bem definido. Numa transação ulterior o agente finge estar fazendo uma coisa, quando, na realidade, está fazendo outra...", p. 34.


POR QUE e PARA QUE JOGOS

O jogo, sempre tem um final previsível e termina com um mal estar ou uma confusão que causa um benefício emocional para os jogadores e o maior deles é  manter o script.

Segundo Berne (Os Jogos da Vida), o objetivo é o propósito geral do Jogo, podendo existir, algumas vezes, alternativas. No caso de "Se Não Fosse Você" é possível que o indivíduo esteja buscando segurança (dizendo: "Eu não estou com medo, na verdade ele não me deixa ir embora") ou ainda para se justificar (dizendo: "Na verdade eu tento, porém ele não me deixa ir embora").


Segundo Claude Steiner em seu livro Os Papéis que Vivemos na Vida "Jogo: é o evento transacional que produz a recompensa que leva adiante o Script", p. 103.

COMPREENDENDO MELHOR OS PASSOS DE UM JOGO

A fórmula G (J) de Berne: C + G ---> R ---> S ---> X ---> P, sendo:

C = "Con" ou Isca;
G = "Gimmik" ou Fraqueza;
R = "Responds" ou Resposta;
S = "Switch" ou Mudança;
X = "Crossup" ou confusão; e
P = "Payoff" ou Compensação Final.
Em português, a fórmula G original de Berne pode ser apresentada da seguinte maneira: I + F ---> R ---> M ---> C ---> BF.

Onde:

I = Isca - É a parte oculta, inconsciente, ulterior da mensagem e corresponde à uma promessa oculta do primeiro participante. Como desqualificação de alguma caraterística do emissor do estímulo, do receptor ou de ambos;

F = Fraqueza ou fragilidade - É o ponto fraco, vulnerável, indicativo de uma necessidade do segundo participante;

R = Resposta - O segundo participante responde à isca, em decorrência de sua fragilidade, entrando no jogo. Sua resposta, assim como o estímulo inicial, ocorre em dois níveis: social, que serve de fachada para o jogo e psicológico (ulterior), por onde o jogo tem seu curso.

M = Mudança - É a fase em que o primeiro participante muda de Estado de Ego, determinando a mudança também no segundo participante, gerando surpresas. Ao trocar de Estado de Ego, os participantes trocam também de papéis;

C = Confusão - É o momento de perplexidade que se segue à Mudança e antecede ao Benefício Final;

BF = Benefício Final - É o "prêmio" de cada jogador e corresponde ao disfarce que cada um experimenta ao final do jogo. Durante as diversas fases dos jogos, os jogadores experimentam outros pseudo-benefícios.
ISCAS



Quero me ater aqui nos três primeiros passos: I F R  ou seja Isca Fraqueza e Resposta.

Fraqueza sabemos o que é e tenha certeza seus parceiros de jogos sabem qual e onde está seu "calcanhar de Aquiles" e é colocando o "dedo na ferida", diminuindo você, te criticando, te desqualificando, que ele monta o cenário perfeito para lançar a ISCA.

O BOM JOGADOR PREPARA SUA ISCA


Conhecendo suas fraquezas o jogador prepara pacientemente sua isca enfeitando o anzol com aquilo que a atrai e para haver JOGO o outro precisa se sentir atraído.

CUIDADO

Alguns anzóis são revestidos até por deliciosas frutas, mas saiba que por dentro há um anzol cujo único objetivo é fisgar VOCÊ.

Uma vez fisgada você não poderá mais fugir pois o anzol, preso em sua boca, impede toda e qualquer espontaneidade, intimidade, alegria e principalmente LIBERDADE.
Em consequência você perde sua capacidade de TOMAR DECISÕES.

Muitos são os tipos de iscas mas também muitos são os tipos de anzóis e o bom jogador lhe apresenta sempre a que mais lhe seduz.

Muitas vezes pode ser aquela que mais demonstra sua fraqueza, e então ... zap... você está fisgada.



Mesmo que você seja aparentemente grande, esperto, quando você está dentro do TRIÂNGULO DRAMÁTICO sempre haverá um anzol revestido por uma isca que lhe atrairá para ser fisgado.



LEMBRE-SE SEMPRE:
Você não é peixe! Você é gente e pode:

PENSAR

TER DISCIPLINA

SE AUTOCONTROLAR

EVITAR SE ATRAIR PELAS ISCAS

O fundamental para isto é sair do Triângulo Dramático.
Sair da posição de
PERSEGUIDORA
ou
SALVADORA
ou
VÍTIMA

e o que é pior, na maioria das vezes andamos como pássaros tontos e presos dentro deste triângulo.

Desejo que você como eu, possa identificar suas fraquezas e se autocontrolar para se desviar das iscas e assim não entrar no jogo DANDO UMA RESPOSTA DIFERENTE ou seja
uma resposta de INDEPENDÊNCIA E LIBERDADE.
Não liberdade da pessoa que é seu parceiro de jogos mas liberdade de seu verdadeiro EU.


10 comentários:

  1. dahora curti.
    disso q eu prescisava.
    Posta mais ae qnd der pq isso ajudou muito ^^.

    ResponderExcluir
  2. SIM, ACREDITO QUE ENTENDER, CONHECER O INIMIGO E QUE ARMAS TEMOS É FUNDAMENTAL PRA JOGAR OU SAIR DO JOGO.

    ResponderExcluir
  3. SIM, ACREDITO QUE ENTENDER, CONHECER O INIMIGO E QUE ARMAS TEMOS É FUNDAMENTAL PRA JOGAR OU SAIR DO JOGO.

    ResponderExcluir
  4. não é inimigo....pode estar em sua casa....vc so precisa não entar no jogo, neste caso, pirâmide e se libertar. a outra pessoa com este jogo, pretende manipular ou acaba o contrario...não entrem neste jogo, já passei e passo por isso...acabo mentindo a mim próprio...

    ResponderExcluir
  5. Jogos psicológicos são ferramentas utilizadas para chamar a atenção para algo que está oculto, um problema, uma deficiência, que não pode ser dita por fraqueza, sensação de não ser compreendido, a pessoa querer aparentar não ter emoções e ser forte. Algo a incomoda, então, ela tenta incomodar o outro, para que este preste atenção nela. Infelizmente, jogos psicológicos só levam ao desgaste, e servem, sem dúvida, como uma experiência enriquecedora, isto é, você fica mais atento e esperto quando tem a consciência do jogo. No entanto, muitas vezes, o parceiro acaba te fazendo mal, de forma inconsciente ou consciente, e não reconhecendo isso, o relacionamento em si só é destruído. A pergunta é: Vale a pena fazer jogos e destruir o relacionamento apenas para ganhar mais experiência e se tornar mais esperto, receoso ou precavido? Não vale a pena jogar tudo no lixo por causa dessa merda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente devemos conhecer os jogos para NÂO fazê-los pois eles sempre têm um final desagradável e previsível.

      Excluir
  6. Gostaria de acrescentar algo, parabéns pela matéria e muito obrigada por ter postado conteúdo de tão grande valia. Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Como dar essa resposta de liberdade, uma vez que o seu parceiro de jogos reage à qualquer resposta sua de forma negativa, atuando como um perseguidor-vítima?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NÂO RESPONDA. Se a bolinha de ping pong vem para seu lado o único jeito de sair do jogo é não rebater. Cuidado com parceiros pois geralmente somos muito inteligentes para achar os parceiros que gostam de jogar conosco.
      LEMBRE-SE sempre: Você só é capaz de mandar em voce mesma.!!!

      Excluir
  8. adorei esplicou tudo q eu queria saber

    ResponderExcluir